*****Um belo dia acordamos e descobrimos que APAIXONAR-SE É INEVITÁVEL*****

Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 20 de julho de 2010

60 Anos De Forrobodó

Há exatos 60 anos, Seu Lula, o rei do baião, gravava o Forró de Mané Vito. E foi a partir deste disco, em 1950, que surgiu um novo rítimo musical, o forró!

Bom de dançar e bom de ouvir, o forró encanta até os que não sabem se requebrar. Sou suspeita pra falar porque amo o tradicional forró gonzaguiano, ou o chamado forró pé-de-serra.

Forró pra mim é esse, arrasta-pé, xote ou baião. Sanfona, triângulo e zabumba. O resto é insignificante.

Valeu Seu Lula e Viva o autêntico Forró!!!

Curta o Forró de Mané Vito com outro mestre: Dominguinhos.


Forró de Mané Vito
Luiz Gonzaga
Composição: Luiz Gonzaga e Zé Dantas

Seu delegado, digo a vossa
senhoria
Eu sou fio de uma famia
Que não gosta de fuá.

Mas tresantontem
No forró de Mané Vito
Tive que fazer bonito
A razão vou lhe explicar.

Bitola no Ganzá
Preá no reco-reco
Na sanfona de Zé Marreco
Se danaram pra tocar.

Praqui, prali, pra lá
Dançava com Rosinha
Quando o Zeca de Sianinha
Me proibiu de dançar.

Seu delegado, sem encrenca
eu não brigo
Se ninguém bulir comigo
Num sou homem pra brigar.

Mas nessa festa
Seu dotô, perdi a carma
Tive que pegá nas arma
Pois num gosto de apanhar.

Pra Zeca se assombrar
Mandei parar o fole
Mas o cabra num é mole
Quis partir pra me pegar.

Puxei do meu punhá
Soprei o candieiro
Botei tudo pro terreiro
Fiz o samba se acabar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário